Por que o WhatsApp está dando o seu telefone para o Facebook

Sempre fui muito sentimental, carinhosa, e sonhadora.. Ele pode ser reproduzido apenas na sua totalidade para circular como "freeware", sem custos. Entravas a casa humilde A um gesto do mar. Fiquei muito mal por isso. Conversar de novo e pessoalmente? Some quase todos os fins de semana e reaparece com desculpas tolas. Bisbilhotar o celular do rapaz:

Entenda os homens

Tópicos Recentes

Leia o artigo para descobrir! A linguagem corporal pode revelar bastante dele. Veja se ele faz contato visual.

Se quiser arriscar, flerte um pouco para esquentar o clima. Pense nos relacionamentos anteriores do rapaz. Se tiver um tom nervoso, gaguejar ou hesitar, pode ser que esteja interessado, bem como se as suas conversas forem longas.

Atente-se principalmente ao seguinte: Fique de olho nesses sinais para saber quando eles ultrapassam as barreiras da simples amizade: Pode ser que ele esteja "treinando" para ser seu namorado. Talvez ele se disponha a ouvir os seus problemas e desabafos.

Veja como o rapaz age perto de outras meninas. Ele exibe todos os relacionamentos na sua cara: Fique de olho no seguinte: Isso pode indicar se ele quer mais do que a sua amizade. Fale casualmente com os amigos do rapaz. Geraldinho lembra que detratores como o marechal Costa e Silva e apologistas como Toquinho e Chico Buarque chamaram Vinicius de vagabundo.

Vinicius de Moraes nasceu filho da pequena classe media carioca. Tudo de ouvido, tudo swing. Lembro de irmos algumas vezes a New Orleans, uma vez especialmente para ouvir Jelly Roll Morton, de quem ele se tornou amigo.

No primeiro instante a Bossa Nova, e Vinicius em particular foram muito criticados. Essa vontade conservadora de querer que as coisas parem no tempo, puras, sem misturas. Mas o resultado dessas misturas foi uma obra universal e uma imagem dos brasileiros para si mesmos e para todo o mundo completamente nova. Rio de Janeiro, Vinicius chegou ao mundo junto com o temporal que varreu a madrugada de 19 de outubro de Faria 90 anos no domingo. O site consumiu meses de trabalho.

Vinicius depois disso multiplicou-se. Terno, inocente e militante com Carlos Lyra. Alegre e negro com Baden Powell. Pungente e simples com Chico Buarque. Tudo com Tom Jobim. Ficou amigo de Orson Welles. Numa festa em Hollywood foi apresentado por Carmen Miranda a uma jovem e cintilante morena. But morally I stink". Mas moralmente cheiro mal. Era Ava Gardner antes de enlouquecer Frank Sinatra.

Percebeu ao chegar que era esperado. Trata-se aqui de cada um falar de seu Vinicius, poeta e letrista. E diz por que: Imagino que ele a tenha fascinado pelo mesmo motivo que me fascinou: O cotidiano fez de Vinicius um poeta-cronista. Com cuba-libre e os primeiros cigarros com filtro". O que responde por essa tragicidade? O fato de que, para ele, o amor acaba: Andam dizendo - Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Amor em paz - Tom Jobim e Vinicius de Moraes. E, no entanto, o pacto com as altas intensidades - as quais talvez Vinicius chamasse dessa maneira: A felicidade - Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

Como dizia o poeta - Toquinho e Vinicius de Moraes. O que isso quer dizer? Duvido, sinceramente, que pudesse fazer melhor, mas de uma coisa estou certo: Tati foi a primeira mulher de Vinicius. Claro que Vinicius a homenageou mais vezes e em outra voltagem afetiva. Ela sempre se recusara a falar sobre Vinicius. As outras que me desculpem, mas ela foi a mais importante figura feminina na vida do poeta. E foi com a ajuda dela que conseguiu entrar para a diplomacia. Intransigente desafeto do cinema hollywoodiano, Mello acabou indispondo Vinicius com todas as distribuidoras de filmes americanos no Brasil.

O cinema pegou o poeta antes mesmo de ele abrir seu primeiro berreiro, numa chuvosa noite de outubro de Seu nome de batismo, Marcus Vinitius, foi uma homenagem ao soldado romano de Quo Vadis?

Quando despertei Cheirava a jasmim Que um anjo esfolhava Por cima de mim E abre-se a porta da Arca De par em par: Ora vai, na porta aberta De repente, vacilante Surge lenta, longa e incerta Uma tromba de elefante. Grita uma arara, e se escuta De dentro um miado e um zurro Late um cachorro em disputa Com um gato, escouceia um burro. A Arca desconjuntada Parece que vai ruir Aos pulos da bicharada Toda querendo sair.

As aves, por mais espertas Saem voando ligeiro Pelas janelas abertas. Vem mergulhar em mim Como no mar, vem nadar em mim como no mar Vem te afogar em mim, amiga minha Em mim como no mar Carlos Drummond de Andrade. Carlos Drummond de Andrade Muitos poemas de Drummond mostram um homem ao mesmo tempo torturado pelo passado e assombrado pelo futuro. A partir de Claro Enigma , Drummond voltou a registrar o vazio da vida humana e o absurdo do mundo. Todos espelham o embate que permeia toda a sua vida: Alguns anos vivi em Itabira.

Principalmente nasci em Itabira. Por isso sou triste, orgulhoso: Oitenta por cento de ferro nas almas. A vontade de amar, que me paralisa o trabalho, vem de Itabira, de suas noites brancas, sem mulheres e sem horizontes. Tive ouro, tive gado, tive fazendas. Nos seus poemas trabalhou poeticamente as inquietudes e os dilemas humanos.

Por isso gosto tanto de me contar. Maior, muito maior do que eu esperava. Fecha os olhos e esquece. Nunca escutei voz de gente. Em verdade sou muito pobre. Ilhas perdem o homem. Preocupa-se com os problemas do mundo,deseja participar deles. E sua poesia basta a ele. A poesia surge quando aparece uma pedra no meio do caminho do poeta.

Gastei uma hora pensando um verso. O poeta toma um auto. O poeta vai para o hotel. E enquanto ele faz isso. O verso do poeta serve-lhe e somente a ele. Para louvar a Deus como para aliviar o peito,. E meu verso me agrada. Faz-se verso como se faz qualquer outra besteira, como se bebe, como se xinga. O poeta faz besteiras e convida os outros: Vamos fazer um poema.

Outrora escutei os anjos,. Entre o amor e o fogo,. No entanto, elas deslizam e fingem: Parece nulo o poder do poeta sobre as palavras. Chega mais perto e contempla as palavras. Os fatos passam, os temas esquecem-se, mudam-se. Uma flor nasceu na rua! Uma flor ainda desbotada. O bonde, a rua,. Eis o grande feito de Rosa do Povo. Posso, sem armas, revoltar-me?

O tempo pobre, o poeta pobre. Quarenta anos e nenhum problema. Nenhuma carta escrita nem recebida. Todos os homens voltam para casa. E soletram o mundo, sabendo que o perdem. Tomei parte em muitos, outros escondi.

Alguns achei belos, foram publicados. Crimes suaves, que ajudam a viver. Os ferozes padeiros do mal. Os ferozes leiteiros do mal. Ao menino de chamavam anarquista. Com ele me salvo. Dois pontos ainda merecem ser observados no presente poema. Eis que o labirinto. No entanto, Drummond continua discursando, vivendo, assim como o inseto continua cavando.

Observe como tal pode ser esquematizado: Um in SE to cava. SE m achar ES cape. Que fa ZE r, E xau S to,. E i S que o labirinto. Tua gota de bile, tua careta de gozo ou de dor no escuro. Nem me reveles teus sentimentos,. Teu iate de marfim, teu sapato de diamante,. Penetra surdamente no reino das palavras. Calma, se te provocam. Espera que cada um se realize e consume. Drummond insere nessa bomba tudo que. Nesta passagem final, Drummond cessa o.

A rosa do povo: Observemos mais de perto o viajante desse poema. Derrubaram a porta, Chegaram ao lugar luminoso Onde a verdade esplendia seus fogos. Era dividida em metades Diferentes uma da outra. Chegou-se a discutir qual a metade mais bela. Nenhuma das duas era totalmente bela E carecia optar. Dru m m o n d desafia o conceito cristalizado sobre o tema.

Posso conhecer a verdade? Quero que todos os dias do ano todos os dias da vida de meia em meia hora de 5 em 5 minutos me digas: Eu te amo, creio, no momento, que sou amado. Eu te amo, desmentes apagas teu amor por mim. Exijo de ti o perene comunicado. Eu te amo, inexoravelmente sei que deixaste de amar-me, que nunca me amaste antes. Qual Prometeu tu me amarraste um dia Do deserto na rubra penedia — Infinito: Como o Cristo — a liberdade Sangra no poste da cruz.

Treme a terra hirta e sombria Que os fracos Recuem cheios de horror. A todos — luz e fanal! I 'Stamos em pleno mar Do firmamento Os astros saltam como espumas de ouro Bem feliz quem ali pode nest'hora Sentir deste painel a majestade! Embaixo — o mar em cima — o firmamento Por que foges assim, barco ligeiro?

Que cena infame e vil Em sangue a se banhar. E voam mais e mais Qual um sonho dantesco as sombras voam! Onde vive em campo aberto A tribo dos homens nus Ontem simples, fortes, bravos. Que sedentas, alquebradas, De longe Adeus, palmeiras da fonte! Depois, o areal extenso Depois no horizonte imenso Desertos Vaga um lugar na cadeia, Mas o chacal sobre a areia Acha um corpo que roer.

E o sono sempre cortado Pelo arranco de um finado, E o baque de um corpo ao mar Ontem plena liberdade, A vontade por poder E deixa-a transformar-se nessa festa Em manto impuro de bacante fria! Fatalidade atroz que a mente esmaga! Se disser que prefiro morar em Pirapemas. A natureza me assusta. Poema Sujo - um fragmento: Mas na cidade havia. E por ser pouco. E do mesmo modo. E se nesse caso. O que eles falavam na cozinha. O Poema sujo foi escrito quando a ditadura tinha se.

Meus amigos desapareciam , ou eram presos, ou fugiam. O meu passaporte estava cancelado pelo Itamarati.

Mais lidas